IT Mídia diversifica operação.

Fonte: Valor Econômico

Após um longo período de reestruturação, a IT Mídia, que tem como foco a produção de revistas, sites e eventos para os setores de tecnologia da informação (TI) e saúde, fez duas aquisições para expandir o seu raio de atuação na mídia.

A companhia adquiriu o portal Catálogo Hospitalar, por R$ 2 milhões, e o site Fórum PCs, por R$ 3 milhões. As operações foram realizadas com recursos próprios. Adelson Sousa, presidente e sócio da IT Mídia, diz que as publicações da empresa sempre foram voltadas aos gestores de TI e da área de saúde.

Com as aquisições, a companhia pretende atingir outros elos dessas cadeias, como distribuidores, canais de vendas e profissionais técnicos. “A empresa vai ganhar relevância nesses setores com a oferta de conteúdo para toda a cadeia e todos os tamanhos de empresa”, afirma o executivo.

A IT Mídia detém as revistas “Information Week”, “CRN Brasil”, “Fornecedores Hospitalares” e “Saúde Business”, que juntas vendem 46,5 mil exemplares por edição, segundo o Instituto Verificador de Circulação (IVC). Os sites antigos têm 500 mil usuários únicos ao mês. Com os novos sites, diz Sousa, o número de usuários únicos cresceu para 3,2 milhões.

A companhia também planeja promover eventos voltados a esse novo público. A principal fonte de receita da IT Mídia provém da realização de eventos como IT Fórum e Saúde Business Fórum. A companhia, que no ano passado registrou receita de R$ 32 milhões, projeta elevar o faturamento neste ano para R$ 41 milhões com as aquisições.

Como parte da estratégia de expansão, a empresa também lançou um serviço de distribuição de conteúdo para mídia em hospitais. A empresa já fechou contrato com o Hospital Nove de Julho e o Hospital Santa Catarina e tem como meta obter mais dez clientes no segmento até o fim do ano.

Essa não é a primeira vez que a IT Mídia reformula seus negócios. No início dos anos 2000, a companhia investiu em mídias voltadas para segmentos como agronegócios e finanças. Em 2002, recebeu aporte de R$ 5 milhões do fundo private equity Brasil 21, do BNDES, gerido pela Dynamo Venture Capital. Mas o estouro da bolha da internet afetou a empresa, que se desfez das outras publicações e reduziu a equipe de 144 para 78 pessoas. Em 2004, a companhia recebeu aporte de R$ 6 milhões do fundo Stratus. Desde então, concentrou o negócio nas área de TI e saúde. A participação dos fundos foi comprada pelos sócios entre 2009 e 2010.